Fala pessoal. Antes de mais nada, quero agradecer pelo feedback relativo à primeira coluna que postei. Fiquei muito contente em saber que despertei o interesse de alguns leitores pela série Disgaea.

Saibam que o intuito da minha coluna é exatamente fazer com que os leitores da WarpZone descubram jogos que, muitas vezes, passaram despercebidos pelo grande público. Também gostaria de divulgar o meu canal no Youtube, no qual costumo fazer algumas gameplays de jogos do Playstation 4.

Sem mais delongas, conforme adiantei na coluna sobre o Disgaea, o jogo que irei falar em março é o Ikaruga. Produzido pela Treasure (a mesma de Gunstar Heroes e Dynamite Headdy, para o Mega Drive), o game foi inicialmente lançado para os arcades em 2001, em uma época onde os fliperamas já davam sinais de desgaste.

Sua primeira conversão para consoles foi em 2002, como um dos últimos lançamentos do Dreamcast, o derradeiro console da Sega.

Saber a hora certa de trocar a cor da nave faz toda a diferença

Ikaruga é um jogo do gênero shmup, popularmente conhecido no Brasil como “navinha”, com uma proposta, digamos, peculiar. Sua nave tem dois lados: um branco, representando a luz, e um preto, simbolizando as trevas.

Os inimigos variam entre as duas cores, formando aqui a grande sacada da Treasure. Os tiros na cor branca causam danos nos inimigos da cor preta, e vice-versa. Adicionalmente, disparos que sejam da mesma cor da sua nave serão absorvidos e convertidos em energia.

Apesar de ter somente cinco fases, a dificuldade desse shooter vertical é bem alta, exigindo muito treinamento por parte do jogador. Os inimigos se aproveitam muito bem da dualidade de cores, exigindo um domínio completo da mecânica de alternância entre os lados da nave.

Eu conheci esse jogo lendo um artigo na Internet, acho que na Game Informer, a respeito de seu lançamento para o Nintendo Switch em 2018. Apesar de não ser tão fã de jogos de navinha, Ikaruga cativou a minha atenção, sendo um dos poucos jogos desse gênero que mantenho em minha biblioteca.

A dificuldade de Ikaruga é bem alta, exigindo que o jogador treine bastante

Para quem ficou curioso, Ikaruga está disponível para Android, Playstation 4 (via PSNs Europeia e Norte-Americana), Nintendo Switch, Xbox 360, Game Cube, Dreamcast e PC (via Steam).

O que vem por aí: Em minha próxima coluna vou abordar um jogo do meu gênero preferido: luta. Esse, por sinal, é um clássico do PS1 esquecido pela sua produtora, a Capcom, e se passa em diversas escolas. Até lá!

PUBLICIDADE