Aproveitando o grande sucesso do lançamento VASARA Collection, decidimos bater um papo com o Cabral, sócio e fundador da QUByte Interactive, empresa responsável pela coletânea. Entre uma curiosidade e outra, você vai ficar sabendo muitos detalhes sobre a empresa e o jogo, acompanhe que está imperdível.

IMPORTANTE: As opiniões das respostas abaixo são de responsabilidade unicamente do(s) entrevistado(s).
Marivaldo Cabral, sócio e fundador da QUByte Interactive

1 – Como Vasara chegou até a QUByte?

Na verdade não foi como o VASARA chegou até a QUByte e sim, como nós chegamos até ao VASARA. Após o desenvolvimento do 99Vidas eu propus para a equipe desenvolvermos um jogo de shoot’em up, porém não queríamos apenas fazer um “novo” jogo. Gostaríamos de contar uma historia para que pudéssemos ter a atenção do publico (e claro da mídia também). Então, conversamos internamente e pensamos em “reviver” uma franquia, que até então precisaria ser conhecida aqui no Brasil (ou para o grande público em geral), colocamos alguns jogos numa lista e saímos em busca de contatos.

Uma vez que decidimos o jogo, o próximo passo era o contato com a empresa. O primeiro contato que fizemos com a VISCO Corp, empresa que detém os direitos do jogo que escolhemos, foi via e-mail. Para nossa surpresa até tivemos uma resposta rápida da VISCO e ainda por cima mostrando interesse na proposta.

O grande problema foi que o primeiro valor que nos passaram para licenciar a franquia era um valor muito além das nossas capacidades, então tivemos que iniciar as negociações. Ficamos mais de 2 anos negociando, entre idas e vindas de e-mails, até que o Sr. T. Akiyama (CEO da VISCO) começou a ter mais confiança em nós, da QUByte, e conseguimos finalmente encontrar um valor razoável para fecharmos o acordo.

Porém todo o nosso contato ao longo destes anos foi via e-mail, faltava realmente um bate papo. Fizemos um call, mas ainda assim, gostaríamos de conhecer melhor ele e a empresa. Obviamente, uma viagem para o Japão seria algo complicado, então buscamos algumas empresas que poderiam nos ajudar nesta empreitada. Felizmente, encontramos uma empresa Brasileira, lá no Japão, que faz exatamente isso, ajudar empresas nacionais a fazerem negócios no Japão. Então, passamos o contatos da VISCO para eles. Após fazerem algumas reuniões fechamos o acordo.

2 – Qual foi o maior desafio de se fazer o port de ambos os jogos?

Quando iniciamos o porting dos dois jogos, tínhamos em mente fazer a emulação deles, mesmo tendo em mãos o código fonte de uma das versões (originalmente escrito em Assembly). Sim, não tínhamos os códigos das duas versões, nós estávamos pensando em tentar emular o jogo, porém, em algumas plataformas, esta emulação ficou com um desempenho muito ruim. Foi então que nosso engenheiro de software, Fábio Attard, desistiu da ideia de emular e partiu para rescrever os dois jogos em C++. Depois de muito trabalho, ele finalmente chegou a uma versão estável e o desempenho dos dois jogos, em todas as plataformas, ficou muito bom, cravado em 60FPS.

VASARA Collection (Divulgação)

Porém, não foi apenas o porting das versões clássicas (como chamamos as duas versões originais) que foi um desafio para nós. O VASARA Collection conta com um modo exclusivo, criado do zero, chamado Timeless. Até chegar ao modelo que é o jogo, esse modo Timeless sofreu diversas alterações, chegou até ser cogitado retirá-lo da versão final. No entanto, depois de algumas reuniões envolvendo nossa equipe e o publisher, conseguimos chegar numa definição e partir para o desenvolvimento dele.

Enfim, por conta destes percalços e algumas indefinições de como seria, efetivamente, o conteúdo original em 3D, tivemos um tempo um pouco maior de desenvolvimento.

3 – Qual o tamanho do time envolvido com o projeto e quais as funções de cada um?

No total tivemos 16 pessoas trabalhando no projeto, entre: full-time, freelancers, testers e marketing. Eu vou focar sobre os principais e suas respectivas tarefas, porém inevitavelmente, em uma equipe pequena, uma ou outra pessoa acaba acumulando algumas funções:

Parte do time da QUByte Interactive

Bruno Carvalho (Produtor Executivo & Gameplay Consultant), Marcel Bernardi (Produtor & Game Designer – Modo Timeless), Fabio Attard (Programador Líder & Game Designer – Modo Timeless), Rafael Langoni (Remasterização do Aúdio Original), Raphael Goulart (Remasterização do Aúdio Original), Guilherme Maia (Programador do Gameplay – Modo Timeless), Mariana Souza (Ilustração & Artista 3D), Leonardo Hirano (Programador Adicional), Marivaldo Cabral (Programador Adicional), Diego Augusto (Artista 3D), Renan Carvalho (Artista 3D), Alexander Martins (Artista 3D), Augusto Godinho (Visual Effects) e Guilhes Damian (Marketing & PR).

4 – As vendas físicas passaram de R$1 milhão, foi uma surpresa?

Não diria surpresa, porque sabíamos que edições limitadas, feitas para colecionadores, sempre vendem muito, além disto, já sabíamos de antemão quantas unidades a Strictly Limited Games (publisher desta versão física) iria colocar a venda. Então, chegar ao bruto de mais de R$ 1 milhão não foi uma surpresa, porém o que realmente me surpreendeu foi a velocidade com que se esgotaram as unidades. Foi uma questão de algumas horas, no PSVita por exemplo, foram alguns minutos. Acho que, mais ou menos, em 10 minutos todas as unidades para PSVita acabaram, foi realmente surpreendente.

Lançamento físico de VASARA Collection (Divulgação)

5 – Teve algo que ficou de fora que vocês gostariam de ter implementado?

Acredito que não, uma vez que foi definido como seria o modo 3D e como nós iriamos justifica-lo dentro da coleção de forma que não fosse algo jogado. E, principalmente, como poderíamos adicionar um fator replay neste modo de jogo, acho que tudo se encaixou direito nesta coleção e não ficou nada de fora. Na minha opinião, esta coleção ficou bem interessante, pois além dos jogos clássicos dos árcades (VASARA 1 & 2) estamos oferecendo um conteúdo adicional bem legal. Talvez num possível VASARA 3 adicionar novas mecânicas, hmmmm… Quem sabe? Enfim, nada do que havíamos planejado (depois de tudo definido) ficou fora.

Gameplay – VASARA Collection (Divulgação)

6 – Quais os planos futuros para o projeto?

A QUByte, apesar de ser uma empresa pequena, não para. A medida que o VASARA Collection foi entrando nos seus momentos finais da produção, como: otimização, polimento e porting, parte da equipe já estava sendo alocada em outros projetos. Neste momento, por exemplo, estamos trabalhando com um outro IP da VISCO, que pretendemos anunciar em breve. Além disso, estamos com um novo projeto autoral, trata-se de um IP totalmente feito do zero e que por enquanto esta em fase de pre-produção e captação de recursos para o desenvolvimento do jogo completo.

Gameplay – VASARA Collection (Divulgação)

E calma, isso não é tudo, nós somos uma empresa que adoramos fazer parcerias com outros estúdios Brasileiros. E, por conta destas parcerias, temos neste momento mais 3 projetos em processo de porting para consoles, um outro que esta passando por testes na plataforma Switch e outro que foi aprovado e deve ser anunciado em breve. Ufa é isso!!!

VOCÊ CURTIU?

Se você é dos que curte jogos de navinha e não vai deixar passar batido esse lançamento, garanta o game VASARA Collection na Nintendo eShop, na PlayStation Store ou na Steam.

PUBLICIDADE