O mais maligno plano de Dr. Wily… roubar todas as suas fichas!

Sejamos francos: a melhor parte dos jogos da série Mega Man são os chefes. Cada um deles é mais desafiante e divertido que o outro. A possibilidade de usar as habilidades dos chefes derrotados faz com que nos lembremos deles ao longo de todo o jogo, transformando as revanches do final em momentos emblemáticos.

E foi graças a essa ilustre galeria de vilões, que em 1995 e 1996 foram lançados os fliperamas Mega Man: The Power Battle e Mega Man 2: The Power Fighters, respectivamente. Nesses jogos, além de você poder controlar Mega Man, Proto Man, Bass e Duo, ainda enfrenta vários mestres robôs de toda a série, do 1º ao 7º!

Mega Man: The Power Battle

Toda arte dos games foi repaginada e se parece com uma versão melhor dos gráficos do Mega Man 7. A melhor parte desses clássicos dos fliperamas é que podem ser jogado em co-op, ombro a ombro, por dois jogadores, uma experiência única para a série.

Mega Man: The Power Battle e Mega Man 2: The Power Fighters, por terem sidos lançados para os fliperamas, acabaram sendo esquecidos quando se fala no bombardeiro azul. Entretanto, os dois arcades são grandes homenagens à série e ótimos (e belíssimos) jogos por seus próprios méritos.

Mega Man 2: The Power Fighters
PUBLICIDADE