Durante o SBGames, ocorreram as amostras de jogos para o público testar e conversar com os desenvolvedores, podendo esses, dar-lhes feedbacks em tempo real a respeito de suas criações. Os desenvolvedores dos jogos estavam distribuídos entre empresas e estudantes da área. Infelizmente nem todos os jogos estavam disponíveis, mas nós apresentaremos os seguintes:

BLACK RIVER STUDIO

Black River é um estúdio criado dentro do instituto de pesquisa e desenvolvimento da Samsung (SIDIA) em Manaus, com foco inicial no desenvolvimento de jogos em realidade virtual. A Black River trouxe para o SBGames 2018 três jogos desenvolvidos pelo estúdio:

CONFLICT ø – SHATTERED (http://blackriverstudios.net/conflictzeroshattered) é um jogo em realidade virtual de tiro em primeira pessoa com partes stealth. Nele, o jogador precisa invadir uma base militar e eliminar um alvo político importante para o desenrolar do enredo. O jogo será lançado em episódios de aproximadamente 15 minutos de duração, contendo missões nas quais é necessário locomover-se a pé sem ser descoberto e outras nas quais o gameplay se passa dentro de um meca. Para movimentar-se pelo cenário, o jogador precisa direcionar os olhos para onde ele quer ir e pressionar o touch pad no óculos. O mesmo botão pode ser usado para outras funções, como atirar com a pistola e dar golpes com a espada.

Com movimentação e estilo semelhante ao jogo anterior, DEAD BODY FALLS (http://blackriverstudios.net/deadbodyfalls) têm uma experiência de suspense, a qual se passa durante a investigação de um acontecimento dentro de um hotel antigo. Para isso, o jogador percorre cenários sombrios através de 3 perspectivas diferentes da mesma história, para no final escolher o resultado. O jogo foca na imersão do jogador neste ambiente através da estereoscopia, sendo indispensável uso de fones de ouvido. DEAD BODY FALLS recebeu o prêmio na categoria de “Melhor Narrativa”.

Ambos os jogos citados acima usam touchpad do óculos para o controle de movimentos e também bluetooth, usado para controlar a mira da arma ou foco para a movimentação. Os dois títulos estão disponíveis para o GearVR e Occulus GO.

O terceiro jogo apresentado pelo estúdio serve de prequel para os acontecimentos do Shattered. CONFLICT ø – REVOLUTION (http://blackriverstudios.net/press/sheet.php?p=Revolution) é um jogo de RPG Tático, relembrando jogos como Final Fantasy Tactics ou Advance Wars, no qual cada batalha ocorre em um cenário que, por sua vez, é dividido em várias casas de um tabuleiro com movimentações e ataques por turno. A história mostra quatro revolucionários que estão descontentes com o cenário político do país em que vivem e assim, iniciam uma marcha até a capital com a finalidade de derrubarem o governo. No decorrer do jogo é possível trazer novos aliados ao grupo e cada personagem pode evoluir seu nível de experiência. CONFLICT ø – REVOLUTION será lançado inicialmente para Android e futuramente para iOS. Versões para computador e consoles estão sendo estudadas.

SUKAFU TEAM

KINGDOM BLAST (https://sukafu-team.itch.io/kingdom-blast) é um jogo rítmico, para dois jogadores, que visa controlar os gritos das torcidas organizadas em um jogo em futebol americano em um universo medieval fantasioso. A cada rodada, os jogadores precisam pressionar os botões na hora certa das batidas dos tambores para fazer pontos e ajudar o seu time a fazer mais touchdowns. Ao final de 10 rodadas, aquele jogador que fizer mais touchdowns é declarado o vencedor da partida. Os desenvolvedores trouxeram um controle construído especialmente para mostrar o jogo em eventos, utilizando botões de fliperama semelhante aos arcades clássicos saudosistas. Kingdom Blast está disponível para Windows, Linux e MacOS.

Para os participantes do evento eram entregues cartões QRcode para o download dos jogos Doggonaut (http://sukafuteam.com/doggonaut) e Kraken Escape (http://sukafuteam.com/kraken_escape) que pode ser baixados para Android e iOS.

ESTUDANTES PUC MINAS

Desenvolvido por 4 estudantes da PUC-Minas, o jogo CASO SOMBRIO (https://owlverlord.itch.io/caso-sombrio) é um runner com o campo de visão limitado. O jogador controla Frank Hamirez, um investigador em busca de um assassino. A energia do jogador é representada pela quantidade de sombras que o seguem em sua jornada, incrementando o seu raio de visão. Até cinco sombras podem ser coletadas no cenário, mas feixes de luz vindo da rua podem causar dano removendo uma sombra de cada vez. Além disso o jogador pode pular, usar um movimento de dash para esquivar-se de perigos encontrados e também é possível coletar itens que podem adicionar novas características ao personagem. Os cenários do jogo são gerados aleatoriamente, passando-se em um casarão cheio de armadilhas, desde lustres caindo até câmaras de tortura, que podem matar o jogador independente do seu número de sombras. CASO SOMBRIO está disponível para download com versão somente para Windows, mas os desenvolvedores estão avaliando a portabilidade para outros sistemas operacionais.

ESTUDANTES PUC RS

BIT MADNESS é um puzzle, com câmera top down, desenvolvido por estudantes de pós graduação da PUC-RS. O game apresenta um hacker tentando acessar um sistema. Para isso, o jogador precisa fazer o sinal viajar do conector inicial até o final, modificando a posição e rotação dos demais conectores do cenário em cada level do jogo. Só é possível posicionar os conectores nas bases preestabelecidas pelo jogo, não sendo possível posicionar dois conectores no mesmo lugar. Com o decorrer das fases, vão aparecendo empecilhos que dificultam o trabalho do jogador, como algumas bases estarem com problemas e não aceitarem conectores naquele local, diferenças na cor do sinal aceito por cada conector, câmeras de vigilância no cenário que rotacionam todos os conectores se o jogador ficar na frente delas e também a adição de um tempo extra para resolver o quebra-cabeça de algumas fases. Por ainda estar em desenvolvimento, o jogo necessita de um melhor balanceamento no nível de dificuldades das fases iniciais. Os estudantes desenvolvedores do jogo comentaram que pretendem lançar futuramente para Windows, MacOS e Linux.

UNA-SUS RS

O nome do jogo MUIRAQUITÃ refere-se a uma cidade fictícia no interior do estado do Pará criado para o projeto de realidade virtual na UNA-SUS de Porto Alegre (https://www.unasus.gov.br/institucional/unasus). Na história, o jogador vive um residente de medicina que, com a ajuda da sua perceptora (professora Bárbara), irá auxiliar os pacientes dentro da comunidade Ribeirinha. O jogo foi criado como um complemento à ser inserido dentro das salas de aula, para auxiliar o ensino de atenção domiciliar. Junto com o jogo, é disponibilizado um guia para o professor poder adaptá-lo e também é gerado um relatório de desempenho do jogador, mostrando seu comportamento, tomadas de decisões, em quais aspectos o aluno prestou mais atenção e também o estado clínico do paciente sobre os tratamentos e exames realizados. O software possui uma versão em realidade virtual para o Gear VR (apresentada no evento) e também terá uma versão web na qual o aluno poderá acessá-lo de qualquer computador.

LUDIC STUDIOS

Em AKANE (http://ludic-studios.com/Akane.html) o jogador controla a samurai protagonista de mesmo nome, que está sendo perseguida pela Yakuza. Após ser encurralada em uma praça e antes de uma morte certa, ela precisa assassinar o máximo possível de inimigos filiados à Yakuza. O jogo foi desenvolvido pela Ludic Studio e traz um gameplay arcade, baseando-se em filmes de ação como Kill Bill e filmes do Akira Kurosawa. A arte possui vários elementos cyberpunk encontrados em Akira e Ghost in the shell, além de vários itens na forma de easter eggs para os amantes de cultura pop. O gameplay apresenta dois modos de jogo, sendo o primeiro um tutorial, onde a personagem recebe lições de seu mestre, e a fase principal em uma praça de Mega Tókio em 2121. Embora o jogo tenha uma arte pixelada 2D, nós podemos ver vários elementos presentes em jogos 3D, como luz volumétrica, mapas, efeitos de glow, etc. AKANE está disponível na loja steam para Windows, MacOS e Linux. Este jogo, junto com HOMELET, recebeu o prêmio na categoria de “Melhor Jogo por Voto Popular”.

BITFISH STUDIOS

Devido a história engraçada apresentada no jogo, o nome HOMELET (http://www.bitfishstudios.com/homelet) dá-se a união de HOME (lar) com OMELETE (Alimento feito com ovos batidos). Nesse game, o jogador controla o pássaro humanoide  Billy que precisa recuperar a terra e devolvê-la ao seu povo. Na história, quando um pássaro alcança a sua maturidade o seu bico cai, servindo de base para a construção de uma arma. Dessa maneira, a natureza de sua raça reconhece que o pequeno pássaro tornou-se um guerreiro, e Billy é o último de sua espécie. O projeto inicial apresentado no evento possui 1 fase com o gameplay semelhante aos primeiros The Legend of Zelda em 2D. O jogo apresenta uma arte desenhada a mão, com animações editadas quadro a quadro, adicionando uma ambientação cartoon ao jogo. Todo o ambiente mostrado no jogo é baseado na ecologia real dos pássaros, com inimigos na forma de vermes e também répteis. A primeira versão de HOMELET foi criado por Matheus Fernandes que desenvolveu o jogo no seu trabalho de conclusão de curso (TCC) enquanto trabalha na Bitfish Studios. Para o futuro lançamento estão previstos versões para Windows, MacOS e Linux. HOMELET junto com AKANE, recebeu o prêmio na categoria de “Melhor Jogo por Voto Popular”.

URUCA GAME STUDIO

URUCA é um estúdio independente de desenvolvimento de jogos com sede em Brasília, com foco na criação de jogos baseados na cultura nacional. O estúdio trouxe ao SBGames dois jogos diferentes abordando história dos negros e refugiados no Brasil em um conflito armado.

BANZO – MARKS OF SLAVERY (http://urucagames.com/banzo-marks-of-slavery/) é um jogo de gerenciamento de recursos com temática no Quilombo do Urubu, comandado pela rainha Zeferina, na região do Parque São Bartolomeu, Salvador-BA. Um Quilombo era uma sociedade de pessoas que viviam em fuga da escravidão, geralmente composto por escravos e seu descendentes. Quando os escravos fugiam das fazendas, eles criavam essas comunidades no meio do mato e sobreviviam unidos. Em BANZO – MARKS OF SLAVERY o jogador precisa produzir recursos para o sustento do quilombo, precisa treinar guerreiros para a própria proteção ou atacar outras fazendas para poder libertar os escravos e roubar mantimentos. A campanha roda em torno de uma história fictícia, com personagens e lugares reais presentes na história dos negros no Brasil. Existem dois modos de jogos: O modo campanha contém 3 capítulos (cada capitulo com duração de mais ou menos uma hora), e um modo customizável sem limite de tempo e sem missões específicas, sendo possível escolher o número de fazendas na região e dificuldade da partida. No gerenciamento do quilombo, o jogador pode ordenar trabalhadores para atuar na fazenda afim de produzir alimentos, como também pode treinar os trabalhadores nas rodas de capoeira para tornarem-se guerreiros e vice-versa. A arte do jogo está muito bonita, sendo construído inteiro em pixel art com um cenário isométrico mostrando os personagens cuidando do quilombo e treinando os seus guerreiros. Os detalhes no design mostram os cuidados de tornar o jogo mais agradável para os olhos. BANZO – MARKS OF SLAVERY já está disponível para steam com versão somente para Windows.

 

Desenvolvido pelo mesmo estúdio, BACK TO DUST (https://uruca-games.itch.io/back-to-dust) é um protótipo de um jogo criado em 72 horas durante a Ludum Dare 40.

O jogo se passa no meio de um conflito armado e o jogador precisa fugir do país por uma de suas fronteiras. A história gira em torno de um pai, que junto com sua filha, precisa percorrer um longo caminho até o seu destino. Durante a sua jornada, outros refugiados aparecem pedindo para juntar-se ao grupo, alguns oferecendo serviços ou objetos de valor em troca. Fica a cargo do jogador gerenciar os recursos do grupo e decidir se essas pessoas são confiáveis o bastante para serem inclusas na viagem. O decorrer da história é moldado de acordo com as tomadas de decisão do jogador. Se quem se juntar ao grupo for uma má pessoa, o final pode não ser o esperado. O gameplay consiste em decidir quais ações o personagem irá tomar no decorrer da partida. A maioria dos refugiados, são construídos proceduralmente com histórias diferentes mas, existem personagens únicos que sempre serão iguais em todas as partidas. Por ser feito em uma Ludum Dare, Atualmente o protótipo possui versão apenas para Windows, mas a URUCA GAME STUDIO pretende continuar o desenvolvimento de uma versão mais completa para outros sistemas e talvez consoles.

NEW HIPE STUDIO

Estudantes do curso de jogos digitais da PUC-Minas (sob o nome fictício de New Hipe Studio) estavam presentes do evento com o jogo desenvolvido no trabalho de conclusão de curso. BED TIME (https://www.facebook.com/newhypeis) é um jogo online de tiro em terceira pessoa. A história se passa nos anos 90, quando quatro crianças reúnem-se para uma festa de pijama, e no meio da festa tem uma guerra de travesseiros. A brincadeira se expande no imaginário da mente das crianças e é nesse mundo que o gameplay acontece. Além dos modos de jogo conhecido como PVP, foi criado um modo cooperativo, no qual os jogadores estão sendo atacados por monstros imaginários e precisam unir-se para eliminá-los. Também existe a junção entre os dois modos de jogo mencionados, no qual os jogadores competem para ver quem recebe mais pontos por eliminar mais monstros. Eles podem eliminar outros jogadores para dificultá-los, mas isso não lhe concederá pontos extras. O modo de king of the hill foi adicionado com o uso de uma coroa. Enquanto estiver com a coroa na cabeça, o jogador estará somando pontos até ser eliminado por outro jogador. Para eliminar os inimigos, são usados armas de brinquedo construídas para a brincadeira, travesseiros, lançadores de meias, canhões feitos de papelão, etc… Quando o jogador é eliminado ele não morre, apenas deita-se para descansar até o próximo respawn, que é feito em um lugar diferente da sua eliminação. A empresa planeja continuar o desenvolvimento do projeto e poderá lançá-lo no futuro como um produto comercial. BED TIME recebeu o prêmio na categoria de “Melhor Jogo de Estudante”.

AOCA GAME LAB

ÁRIDA (http://aocagamelab.tumblr.com/) é um jogo episódico, que mistura elementos de aventura e sobrevivência, dividindo o gameplay em exploração do cenário e resolução de quests. A narrativa do jogo é um dos pontos altos da experiência, mostrando a história da menina chamada Cícera, que precisa viver no sertão baiano durante o século 19. Embora seja um jogo episódico, o gameplay torna ÁRIDA um Action Adventure com elementos de sobrevivência, no qual a personagem pode sentir fome e sede. Para isso o jogador precisa coletar recursos e fazer craft para sobreviver. O jogo visa comunicar o jogador sobre o povo sertanejo, mostrando a vivência e, transversalmente, explorando a história do povoado de Canudos e da região. ÁRIDA é o primeiro projeto do estúdio Aoca Game Lab sediado em Salvador-BA. O game será lançado com uma narrativa dividia em quatro episódios, com o primeiro prometido para o início de 2019 no steam e com versões para Windows e MacOS. As versões para Linux e consoles, estão prometidos para serem lançadas junto com o segundo episódio.

BITTEN TOAST GAMES

A criação do GARDEN PAWS (https://www.kickstarter.com/projects/bittentoast/garden-paws-relaxing-multiplayer-rpg-simulation) teve início em uma campanha no kickstarter, a qual conseguiu arrecadar 270% da meta proposta. Ele pode ser considerado uma mistura de jogos como Harvest Moon com Animal Crossing, mas o seu diferencial está na possibilidade de “craftar” itens e resolver quests no decorrer do jogo. Também estarão presentes horários diferentes, como dia e noite, e também a troca de estações do ano, embora com a velocidade do relógio diferente do mundo real. O jogo tem como objetivo que o jogador interaja com o mundo, desenvolva a sua fazenda e a faça prosperar. Ele terá um modo online, no qual você pode trazer um amigo para a sua partida ou ir para uma partida de outro amigo para visitar a fazenda e resolverem quests juntos. Os personagens lembram bichinhos de pelúcia, sendo possível escolher entre urso, gato, coelho e raposa.
A história remete um pouco com o filme Home alone. Nela, os seus avós foram viajar pelo mundo e te deixaram encarregado de cuidar da fazenda. As quests do jogo, seguem o decorrer da história na qual, embora o jogador seja livre para fazer o que quiser, têm a opção de avançar e pegar itens que podem ser abertos futuramente, como por exemplo um paraquedas que pode ser usado para planar pelo cenário. GARDEN PAWS entrará em early access no steam em Dezembro de 2018, com versões para Windows e MacOS. O seu lançamento está previsto para o final de 2019 junto da versão para Nintendo Switch.

MOTHER GAIA STUDIO

MGaia Studio é uma empresa de desenvolvimento de jogos premiada internacionalmente. Sediada em Bauru-SP, a empresa tem como foco jogos mobile e trouxe para o evento de jogos do SBGames o seu último lançamento.

MINESWEEPER GENIUS é um jogo mobile representando uma evolução genial do clássico Minesweeper (campo minado), adicionando características de outros jogos como Picross e Sudoku. Nesse game, o jogador precisa percorrer pelos tiles do cenário prestando atenção nos números que dão dicas sobre quantas bombas estão posicionadas naquela linha. Pelo nome conter as palavras “mine” e “sweeper” que na tradução livre seria “vassoura de minas” ou “varredor de minas”, o personagem utiliza uma vassoura para encontrar as bombas.
A história do jogo apresenta Aristóteles, que após ser raptado por alienígenas é obrigado a trabalhar varrendo a nave, sendo controlado pelo dispositivo em sua cabeça.
O objetivo é levar o personagem até o tile alvo sem que ele ative uma bomba. Os cenários são gerados aleatoriamente de acordo com o nível de dificuldade da fase. Mesmo quando você reinicia o mesmo level para tentar aumentar o seu placar final, o próximo cenário carregado será diferente do anterior. Com o passar do jogo, são adicionados novos tiles especiais que podem modificar o cenário. Com desenvolvimento de, aproximadamente, um ano e meio, MINESWEEPER GENIUS foi lançado em Maio de 2018 para dispositivos móveis (Android e iOS). Porém, a empresa desenvolvedora já está conversando com uma publisher, para ajudar no lançamento do jogo para consoles com um modo de construção de fases. MINESWEEPER GENIUS recebeu o prêmio de “Melhor Jogo Mobile”.

PUBLICIDADE