O Conselho da Diversidade da Abragames vai organizar o 2º encontro do Ciclo de Debate sobre representatividades de minorias na indústria de games, na Unibes Cultural. O encontro abordará a participação das mulheres na indústria de games e a construção de personagens femininos nos títulos AAA e nas produções independentes.

De acordo com o 2º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, realizado pelo Ministério da Cultura, em 2018, apenas 20,7% da indústria brasileira de games é ocupada por profissionais femininas. Tendo em vista elas representarem 58,9% dos fãs de jogos casuais, segundo a Pesquisa Game Brasil 2019. O evento reunirá mulheres que trabalham com jogos para debater o papel das mulheres na indústria de games brasileira e para discutir ações que possam diminuir o gap entre trabalhadores x jogadoras.

Time de palestrantes

Segundo Camila Malaman, do Conselho da Diversidade da Abragames e coordenadora do Ciclo de Debates, “queremos mostrar que apesar do gap ser grande, o que acaba por influenciar a construção de personagens femininos, existe um contra-movimento preocupado em mudar esse cenário. Se pegarmos o jogo Tomb Raider, de 1996, a protagonista, Lara Croft, era a típica mulher gostosa. Porém, a partir de 2013 a franquia repaginou a personagem e hoje temos uma Lara muito mais real, na qual as mulheres se sentem representadas e que não está no jogo para satisfazer os homens. Esse é um dos exemplos, mas tem muitos outros. Porém, ainda um grande caminho a ser percorrido“, afirma Camila.

O debate “Representatividade Feminina nos Games” acontece no dia 22 de outubro, às 19h, na Biblioteca da Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500), entrada franca. Entre os debatedores, estão: Rany Ferraz – Garotas Geeks, Aiami Garcia – PushStart, Nayara Brito – More Than Real, Renata Rapyo – Tapps Games e Amanda Rolim – pesquisadora.

Para mais informações, clique aqui.

PUBLICIDADE