Terry Crews e Snoop Dog são gamers assumidos, Neymar Jr. também é. Até mesmo Marília Mendonça, a “rainha da sofrência”, se declarou aos games recentemente. Independente do estilo do artista, seja ele cantor, ator, lutador ou qualquer outro, os games estão sempre presentes na vida deles em horas vagas.

Michael Jackson, que completaria 60 anos hoje (29) não escapa da lista. Na verdade, ele mesmo deixava à mostra seu gosto por games sem nenhuma cerimônia. Um hobby compreensível para um homem que vivia preso em sua própria bolha da fama e que não conseguia fazer contato com o mundo normal sem ser abordado por uma multidão.

Sabemos que Michael tem seu próprio jogo, que há evidências da sua participação na trilha sonora de Sonic 3 e de que existem games que contam com a presença dele. Mas vamos lembrar do Michael Jackson gamer. Ele não era um gamer comum, tinha o seu próprio paraíso de vídeo games em seu rancho Neverland, um salão com um verdadeiro arsenal com mais de 100 arcades originais dos mais variados estilos de jogos.

Diz aí, qual jogo dos anos 90 você se lembra de ter jogado em um arcade. Mortal Kombat? Ele tinha. The Simpsons? Esta lá. Darkstalkers? Confere. Lethal Enforces? Soul Calibur? Virtua Racing? Sim, tudo isso fazia parte de sua coleção.

Além de arcades, sua coleção também era constituída de estações dedicadas a consoles, como o PlayStation, Nintendo 64, Dreamcast, 3DO e até mesmo um Virtual Boy. A coleção dos sonhos em doses cavalares.

Em 2009, pouco antes da morte de Jackson, a empresa de leilões Julien’s Auction produziu um site interativo com os arcades que ele tinha (acessar via IE). O visitante pode fazer um tour pelo site e andar, visualizando detalhes de todos os “brinquedos” que o astro tinha em uma visão de 360°. Também é possível folhear um catálogo disponibilizado pela empresa para ver os itens de sua coleção, desde os arcades até objetos mais variados, como carros, brinquedos, peças decorativa e quadros.

 

Assim como qualquer gamer, ele era atualizado em anúncios e lançamentos na indústria, e queria participar de eventos envolvendo games. Em entrevista ao Kotaku, o jornalista da GTTV Geoff Keighley relembrou a passagem de Jackson na E3 1995:

“Michael apareceu na primeira festa do PlayStation na E3 1995, como convidado surpresa de Mickey Schulhof, o então CEO da Sony. Ele deu uma volta na festa e passou a maior parte do tempo escondido dentro da sorveteria no backlot. Eu lembro que ele também foi visto sentado e jogando a versão arcade do Ridge Racer original que foi montado na festa”, lembra o jornalista.

Coincidência ou não, o dia 29 de agosto também é celebrado como o dia do gamer. Nada mais justo do que lembrar este como o dia do Rei do Pop Gamer.

PUBLICIDADE