Que tal usar seu videogame para minerar bitcoin? As criptomoedas, como bitcoin, litecoin e tantas outras, são mineradas através de códigos que vão sendo decifrados por computadores, cujos valores vão sendo adicionados nas carteiras de seus mineradores. A questão é que, conforme passa o tempo, os códigos ficam mais difíceis, exigindo máquinas cada vez mais pesadas para decifrá-los.

O YouTuber StackSmashing resolveu fazer uma experiência um tanto diferente. Usando um Game Boy, um Link Cable modificado, um Raspberry Pi Pico e um computador normal, ele criou um minerador baseado no portátil da Nintendo.

Um “minerador portátil”

PROPAGANDA

A ideia é fazer com que o Game Boy padrão, que foi lançado em 1989, 20 anos antes do primeiro bitcoin ser apresentado, minere bitcoin sozinho. Claro, o portátil não conseguiria fazer tudo sozinho, pois não possui conexão com a Internet. Para ajudar, StackSmashing adaptou o cabo link e o Raspberry para se conectar ao computador e fazer o fluxo de dados. Uma vez “online”, o Game Boy executa o programa de hashing através de um cartucho programável, com direito a uma animação durante a mineração.

Mas calma! Isso não quer dizer que é só copiar o procedimento e “ficar rico”, uma vez que as altas nos valores das criptomoedas acabam empolgando algumas pessoas. A experiência de StackSmashing diz respeito apenas a provar que o Game Boy pode minerar bitcoins. Pois, como as configurações do portátil são muito limitadas, é claro que o console não é a opção mais viável para isso.

O Game Boy minera bitcoin a uma taxa de 0,8 hashes por segundo. Enquanto mineradores atuais, dos mais velozes, trabalham a 100 terahashes por segundo, cerca de 125 trilhões de vezes mais rápido. Isso sem falar no alto consumo de pilhas que o “minerador portátil” poderia gerar, não é mesmo?