Com uma grande variedade de jogos, a Atari não podia deixar de lado os jogos de raciocínio. Vários deles foram lançados, alguns baseados em jogos de tabuleiro e outros desenvolvidos por programadores, garantindo bons momentos de entretenimento.

01 | 3D TIC TAC TOE

Essa é uma versão inovadora do tradicional jogo da velha. Criado por Carol Shaw, o jogo mostra quatro placas em uma perspectiva tridimensional, dando a impressão que elas pareçam flutuar na tela. Um design bem diferente do que estamos acostumados a ver em jogos de tabuleiro para Atari. A caixa do jogo conta com uma bonita ilustração, com um visual futurista.

O jogo se torna desafiador, levando em consideração que há várias possibilidades para posicionar suas peças e ser o vencedor. O jogador pode posicioná-las em sequência na diagonal, vertical ou horizontal, em um único tabuleiro ou distribuída nos quatro, mas fique atento nas jogadas do seu oponente para que você possa impedi-lo de ganhar.

Carol Shaw e seu jogo 3D Tic Tac Toe

02 | OTHELLO

Esse é mais um jogo em que você deve planejar bem suas jogadas, mas estar atento ao que o seu oponente está fazendo. Vence o jogo quem tiver o maior número de peças no tabuleiro ao completá-lo. Você pode escolher se, ao jogar contra o computador, ele agirá como iniciante, intermediário ou especialista.

Também criado por Carol Shaw em parceria com Ed Logg, Othello exige um grande raciocínio, já que você pode estar vencendo, mas sofrer uma virada repentina.

Isso ocorre, pois o seu adversário pode, em uma única jogada, pegar grande parte das suas peças para si. Há ainda a possibilidade de você não ter jogadas e passar a vez para seu oponente. Usar os espaços nas extremidades do tabuleiro, principalmente nos cantos, é uma das principais estratégias para ser vencedor.

Ed Logg que criou Otellho em parceria com Carol Shaw.

03 | CHECKERS

Alan Miller criou esse jogo para a Activision e o fez com um visual bem bonito. O tabuleiro não tem nenhum diferencial, porém as peças contam com um bonito efeito 3D. A ilustração da label segue o padrão Activision, com as famosas faixas coloridas ao fundo sem nenhum grande diferencial.

O criador do jogo deixa claro no próprio manual que não há muitas dicas para melhor desempenho no jogo. Ao programá-lo, ele procurou sanar todas as fraquezas que encontrava, trabalhando para melhorá-las.

Ele confessa que perde com frequência para a máquina e quem quiser se tornar bom no jogo, deve ir a uma biblioteca e ler sobre estratégias do jogo, assim como o próprio fez antes de projetar Damas para a Activision.

Allan Miller e o famoso jogo de Damas.

04 | FLAG CAPTURE

Esse jogo não tem nenhum grande atrativo visual, mas é bem divertido. Em um tabuleiro com 63 espaços, seu objetivo é encontrar a bandeirinha sem pegar as bombas. Para isso, há pistas de direção ou numéricas.

Jogar com outra pessoa é diversão garantida em Flag Capture. Caso decidam jogar simultaneamente, ambos vão em busca da bandeirinha ao mesmo tempo. Nessa modalidade, você ainda estar atento às pistas do seu oponente que podem te ajudar.

Se decidirem jogar revezando, ganha quem fizer o menor número de movimentos até chegar à bandeira. Se não tiver companhia para jogar, há a opção de ir contra o tempo, na qual se tem 75 segundos para chegar ao espaço com a bandeira o maior número de vezes.

Há também duas possibilidades para a bandeira. Em uma delas, você evita surpresas deixando a bandeira estacionada em um único lugar. Se decidir tornar o desafio maior, pode usar a opção de fazer com que ela se movimente para qualquer um dos espaços ao seu lado quando o jogador não consegue encontrá-la.

Jeff Moss, o programador de Flag Capture.