Lembro claramente quando eu estava desesperada com o vestibular e sem PlayStation 3. Enquanto o mundo estava jogando um certo jogo que, no fim, encantou muitas pessoas. O hype para The Last of Us era muito alto, só ouvia falar desse jogo.

Afinal, estamos falando da Naughty Dog, empresa por trás da série Uncharted, Crash Bandicoot (PlayStation 1) e Jak and Daxter (PlayStation 2). Esperar por um excelente jogo foi fácil, mas, The Last of Us foi além.

Não tem como falar de The Last of Us sem comentar sua história. Com uma narrativa impactante, inúmeras emoções foram despertadas ao longo do gameplay, coisas que, atualmente, a Naughty Dog está fazendo com maestria. Sentimentos de amor, ódio, compaixão foram alguns dos que eu senti jogando.

Neste jogo percebemos que os nossos piores inimigos são os humanos e não os zumbis

O combate também é um ponto forte no jogo. Apesar de simples, ele consegue ser suficientemente bem executado. O jogo também conta com um sistema de upgrades de armas bem simples, algo que deve ser aprimorado em The Last of Us Part II. Os inimigos do jogo possuem uma boa inteligência artificial. Mas, para quem quer um desafio maior recomendo o modo “Sobrevivente” ou “Punitivo”.

Em 2016, em uma conferência da PlayStation Experience, foi revelado The Last of Us Part II. Com um trailer cativante, no qual é mostrado Ellie (mais velha) tocando violão em um quarto de uma casa, onde teve um confronto. No final, Joel aparece. Imagina o meu estado após esse trailer, pois é. The Last of Us Part II será lançado dia 29 de maio de 2020, exclusivo para PlayStation 4 e possivelmente um dos últimos jogos a serem lançados para o console.

Nossa menina Ellie cresceu

The Last of Us é, sem dúvida, um dos jogos que está no meu TOP 5. A história, personagens e a mensagem que é passada me faz querer revisitar esse mundo com mais frequência. E que venha The Last of Us Part II!

PUBLICIDADE