Muitos jogos me surpreenderam emocionalmente e tiveram grande impacto na minha vida. Foi assim com Life is Strange, Last Day of June, Ico, Shadow of The Colossus entre vários, alguns dos quais já fizeram parte de minha coluna. Um desses jogos impactantes foi Brothers: A Tale of Two Sons.

Confesso que quando vi o jogo no catálogo da PSN me impressionou primeiramente a capa, seguidamente, fui pesquisar mais e me apaixonei pela arte do jogo, era algo que me encantava. Comprei o jogo e demorei muito para iniciar. Um certo dia, eu queria um jogo cooperativo e lembrei dele. O diretor se trata de Josef Fares um cineasta libanês, mas você deve conhece-lo pelo momento cômico em The Game Awards 2017, quando o mesmo disse “F**k The Oscars”.

Então vamos falar de Brothers: A Tale of Two Sons. O jogo é do gênero aventura e foi desenvolvido pela Starbreeze Studios e publicado pela 505 Games. Seu lançamento foi em 7 de Agosto de 2013 (no fim da sétima geração) para Xbox One e 360, PlayStation 3 e 4, PC, IOS, Android, Windows Phone e, mais recentemente, para Nintendo Switch.

Você deve pensar: “Já sei, é um jogo de aventura de dois irmãos que, juntos, aprontam altas confusões”, sim eu também pensei isso. Porém, Brothers carrega uma carga emocional muito forte durante todo o gameplay. Eu ficava apreensiva em situações que pareciam ser perigosas, com um grande medo de perder um dos irmãos (está feliz, Telltale?).

Infelizmente, não posso falar muito da história, pois a chave é seguir, sem conhecimento nenhum sobre jogo e a sua narrativa. Basicamente, os irmãos devem buscar um item muito importante para alguém, e é só isso que eu posso falar. O game tem aproximadamente 9 horas.

Sobre o gameplay, é criativo e intuitivo, mas tem seus problemas. A câmera, muitas vezes, atrapalhou o desenvolvimento do gameplay. Certa vez, apareceu um bug que deixava uma textura preta no chão. No game, você controla o irmão mais velho e o mais novo ao mesmo tempo. No começo pode ser confuso, mas a jogabilidade é tão intuitiva que você se acostuma rapidamente. Como eu tinha falado lá em cima, eu estava procurando um jogo cooperativo e eu jurava que esse jogo era, mas não é! E esse é o maior erro dele. Que falta faz um coop em Brothers.

A cooperação entre irmãos é essencial para superar obstáculos e puzzles.

Brothers: A Tale of Two Sons, sem dúvida, é um jogo que marca sua vida. A história cativa e você se vê apegado demais aos irmãos e teme pelas consequências da aventura.

PUBLICIDADE