Fala pessoal,

Primeiramente quero agradecer a todos vocês pelos feedbacks que tive em relação as duas primeiras partes da “Febre das Platinas”. Juntas, as duas tiveram mais de 5 mil visualizações desde que foram postadas em maio e junho de 2019. Como fiquei um bom tempo ausente da coluna, inclusive suscitando dúvidas a respeito da continuidade deste espaço resolvi, como segundo texto da minha volta, atualizar meu status com relação a platinas.

O texto abaixo foi redigido e postado em outubro de 2020, data na qual me encontro com 15 platinas conquistadas, ou seja, o triplo em relação ao que tinha no último texto. Bom, sem mais delongas, vou discorrer sobre a minha saga até aqui, porém deixo um aviso: infelizmente o meu PS4 foi vitimado por uma queda de força, o que resultou em um HD formatado e a perda de diversos prints de troféus tirados pelo console. Nestes casos irei utilizar fotos da minha conta com o troféu, tiradas diretamente da minha TV.

Sexta platina: Eu, Robô

A jornada de Markus, Kara e Connor é muito envolvente

A minha sexta platina, confesso, não foi planejada. Desde o início da jornada eu havia prometido a mim mesmo que platinaria apenas jogos que eu conhecesse e gostasse muito. Em julho de 2019, um dos jogos oferecidos pela Sony para os assinantes da PSN Plus foi Detroit: Become Human.

Kara sofrerá muito para conseguir encontrar a paz que tanto almeja

Muitos amigos fãs de Heavy Rain me disseram que Detroit: Become Human devia ser bom, afinal era produzido pela Quantic Dream, o mesmo estúdio de uma das maiores e gratas surpresas do Playstation 3 (e que ainda não joguei, diga-se). Em meados de 2018, quando Detroit: Become Human foi lançado, não foi um jogo que chamou a minha atenção. Tirando as expressões faciais dos personagens nos trailers, muito parecidas com as de uma pessoa de carne e osso, não havia nada que me estimulasse o suficiente a comprá-lo. Mas, se estava sendo oferecido de graça 1 ano depois, que mal haveria em baixá-lo para conhecer?

Markus terá de provar que pode ser o líder que todos almejam

São estes momentos que fazem você ficar orgulhoso em perceber o quanto estava errado. Detroit: Become Human transcende a ideia de ser apenas mais um jogo de cinematics com um número de decisões limitadas para escolher. A obra traz uma história extremamente envolvente, com diversas ramificações. O jogador enxerga o mundo pelos olhos de três androides, cada um com uma personalidade diferente: Kara, a recém-criada, Connor, um policial e Markus, um cuidador que acaba ganhando uma missão que será fundamental para o seu povo.

Connor precisará decidir de que lado estará na batalha que se aproxima

O jogo me encantou tanto que optei por platiná-lo. É uma conquista que não é difícil, e sim demorada (é preciso repetir alguns capítulos para optar por escolhas diferentes), além de exigir um grau de observação dos cenários muito grande. Depois de longas horas de jogatina, fui outorgado com a platina Mestre de Detroit.

Platina de Detroit: Become Human

Sétima platina: Pato gravitacional

A ganância do protagonista pode custar bem caro

As duas próximas platinas são de uma categoria carinhosamente chamada na Internet de garapas em virtude de sua facilidade. No meu caso, ambas são da desenvolvedora de ports indie Ratalaika Games, companhia especializada em games fáceis de platinar.

As fases contam com diversos tipos de obstáculo

O troféu de platina de Gravity Duck pode ser obtido em menos de 15 minutos. Sua lista de conquistas é extremamente simples, com troféus como “passe uma fase”. Já o jogo em si consiste em controlar um pato que ganha a incrível habilidade de controlar a gravidade. Durante os estágios, é preciso coletar ovos de ouro que permitem avançar para o próximo nível. Os puzzles, apesar de simples, conseguem divertir.

O protagonista consegue andar por todas as paredes das fases

Após uma sequência de fases “dificílimas”, fui recompensado com a platina miojo Platinum Duck.
PS: Para os que duvidam da moleza que é, tirei a foto da conquista no dia 19 de outubro. Até o presente momento, 91,1% dos jogadores que adquiriram o game conquistaram a platina…..

Uma das platinas mais fáceis da coleção

Oitava platina: Will & Grace

Capa de Jack N’ Jill DX

Jack N’ Jill DX segue a mesma premissa de Gravity Duck: simples, fácil e divertido. Aqui, nós assumimos o controle de Jack que se perdeu de sua namorada Jill durante um passeio em uma montanha. Para os que acham que salvar donzelas em perigo está fora de moda, é possível enfrentar os perigos com a Jill em busca de resgatar Jack.

Os estágios do jogo são bem simples e fáceis de passar

Com 140 fases, o jogo traz uma mecânica bem simples: o personagem vai andando/correndo automaticamente pela tela. Sua missão é pular nos momentos certos para alcançar plataformas, coletar moedas e desviar de obstáculos como espinhos e inimigos.

Os intrépidos protagonistas farão de tudo para se reencontrar

No final, mais uma platina obtida em 15 minutos: Platinum Jack N’ Jill.
PS: O índice de conquista do troféu mais valioso está em 95,6%, número ainda maior que o de Gravity Duck.

Segunda platina tranquila da coleção

Nona platina: Cabeça de teia

Marvel’s Spider-Man é um dos melhores exclusivos do Playstation 4

Para a nona platina, resolvi me aventurar no Marvel’s Spider-Man, jogo oficial do teioso favorito da Marvel. Sempre fui um grande fã de super-heróis e, como não poderia deixar de ser, tenho o Homem-Aranha como um dos meus personagens favoritos. A aventura de Peter Parker é um game estilo sandbox, no qual você percorre a cidade de Nova York combatendo diversos tipos de criminosos.

O Homem-Aranha terá que trabalhar bastante para acabar com o crime em Nova York

O jogo em si é bem tranquilo, com uma dificuldade bem acessível. Quanto as conquistas, elas também são bem fáceis. Uma das mais complicadas é a de conquistar todas as roupas pois algumas exigem que você troque fichas de desafio. Para obtê-las é preciso completar os desafios impostos pelo Taskmaster, e alguns deles são bem chatos de serem feitos.

Nosso herói é capaz de evitar o trânsito caótico de Nova York

Dica: Caso tenha as três DLCs, é mais fácil obter as mesmas fichas ao completar os desafios impostos pela Screwball, uma garota fanática por redes sociais que faz quase TUDO para angariar likes em seus perfis.

O Homem-Aranha pode utilizar diferentes tipos de uniforme

Ao todo, com a platina, o jogo conta com 51 troféus sendo 2 de ouro, 10 de prata e 38 de bronze. Depois de horas e horas de diversão e ação, fui recompensado com a platina Be Greater.

PS: Os nomes de algumas conquistas remetem diretamente a algumas aventuras do teioso nos gibis. Um deles é o Spider-Man Superior, que remete a história na qual o Doutor Octopus toma o corpo do Peter Parker e se torna o Homem-Aranha Superior.

Fui pegar a platina em uma tela de transição….

Encerro por aqui a terceira parte da série A Febre das Platinas. Na parte 4 irei contar com mais detalhes as aventuras que tive que passar para obter a décima platina. Dica: tive que jogar como um verdadeiro Deus da Guerra. Até lá!

PS: Comecei a postar vídeos com mais frequência no meu canal do YouTube. Pretendo manter uma periodicidade inicial de 1 vídeo por semana, com jogatinas diversas e dicas. Em breve irei atualizar nome e capa da página. Peço que se inscrevam e ativem as notificações: https://youtube.com/user/laudonio.