Uma startup pode ser atualmente definida como um grupo de profissionais em busca de um modelo de negócios ideal, replicável (entrega o mesmo serviço/produto a todos os clientes), inovador e escalável (o número de clientes cresce em desproporção ao uso de recursos), em condições de incerteza.

Hoje, no Brasil, são quase 13.000 delas, das mais diversas áreas e modelos. E apesar de no início da vida de cada uma delas não seja possível afirmar que a ideia ou projeto será sucesso, exemplos de empresas bastante conhecidas que nasceram como startups, como Google, Netflix e PayPal, demonstram grandes possibilidades de que é possível formar empresas interessantes e longevas.

Geralmente, as startups nascem de uma ideia inovadora e perpassam algumas etapas, como:

  • Idealização: concepção da ideia;
  • Formação: formação da ideia para venda do produto;
  • Tração/Criação: planejamento da solução da ideia;
  • Validação: desenvolvimento do produto ou serviço;
  • Escala/Operação: apresentação da ideia ao público;

Existem vantagens e desvantagens de se trabalhar em um modelo de startup. Como exemplo de vantagem podemos citar a flexibilidade de trabalho, constante aprendizado, ser sócio do negócio e intenso trabalho em equipe. Por outro lado, como desvantagens podemos citar as incertezas intrínsecas ao modelo de negócio, recursos limitados, rotatividade elevada e lucros incertos.

Para colaborar com o sucesso das startups, existem apoios proporcionados por incubadoras e aceleradoras. As incubadoras colaboram com as startups em fase inicial de idealização até o início da validação. As aceleradoras geralmente trabalham com startups já em processo de crescimento e validação.

A área de tecnologia é uma das mais promissoras em modelos de startups. Nesse contexto, considerando o mercado de desenvolvimento de jogos digitais, criar ou se associar a uma startup pode ser uma excelente maneira de buscar investimento, bons profissionais e divulgação dos projetos de jogo. Basicamente, esses pontos são essenciais na criação de um jogo de sucesso.

Para criar uma startup na área de games, recomenda-se:

  • Montar uma equipe diversificada (com diferentes especialistas, como programadores, artistas, game designers, etc)
  • Ter outros projetos bem sucedidos anteriormente (jogos publicados e bem avaliados)
  • Manter o profissionalismo (entender que, em muitas vezes, desenvolverá jogos que não tem afeição, mas que o mercado exige)
  • Basear seus modelos de negócios em outras empresas concorrentes de renome do mercado.

Assim, criar ou se associar a uma startup dependerá das necessidades do projeto. Conforme apontamos aqui, existem vantagens e desvantagens, além de uma incerteza associada ao sucesso. Mas, com um bom estudo prévio e análise do mercado, é um excelente modelo de negócio que está crescendo a cada dia mais no território brasileiro.