Quando The Order: 1886 foi lançado, em 2015, eu ainda não tinha um PlayStation 4. Confesso que o game em si passou um pouco despercebido para mim. Contudo, no ano seguinte comprei o tão desejado console e lembro que The Order foi uma das primeiras aquisições. Com ele também vieram diversos lançamentos como Uncharted 4, The Last Guardian e algumas “pendências” dos anos anteriores, mas The Order ficou lá no cantinho dele, coitado.

Cinco anos se passaram e, após jogar Final Fantasy 7 Remake, surgiram alguns rumores de que novos jogos do PlayStation 5 iriam ser apresentados. Decidi, portanto, focar nos exclusivos da plataforma azul. Foi então que chegou vez de jogar The Order: 1886. Bom, posso dizer que me arrependo… de ter demorado tanto tempo.

The Order: 1886 se trata de um jogo de ação e tiro em terceira pessoa e foi feito pela Ready at Dawn em parceria com a Santa Monica Studios, o mesmo estúdio de God of War. O jogo tem como personagem principal Sir Galahad, o mais renomado cavaleiro da Ordem.

Confesso que o que me chamou mais atenção foi o visual gráfico. É um dos jogos mais bonitos de toda a geração até hoje. Apesar das críticas medianas, tenho que contar que me diverti muito jogando e achei a história um dos pontos mais interessantes do game.

Apesar da história se passar em 1886, na era Vitoriana, período no qual a Rainha Vitória reinou sobre a Inglaterra, alguns de seus personagens são extraídos das lendas arturianas, como Os Cavaleiros da Távola Redonda, Sir Galahad e Sir Percival, e Lady Igraine. The Order também traz elementos de steampunk, além de tecnologias avançadas da Revolução Industrial em Londres.

Vou admitir que no começo achei a história um pouco devagar, mas durante a campanha todo o mistério por trás do que levou a prisão do Sir Galahad, que é mostrado logo no início do game, é explicado e as coisas vão ganhando algum sentido.

Entre os inimigos que encontramos ao longo do game, estão os chamados mestiços, criaturas que parecem com lobisomens e são um dos principais mistérios da história.

The Order: 1886 é, sem dúvida, um game subestimado. Apesar de curto, o jogo entrega uma história de qualidade e uma jogabilidade deliciosa. Estou torcendo para que uma nova sequência venha na próxima geração.

 

PUBLICIDADE