Desde que o Nintendo Switch foi lançado, em 2017, a Nintendo deu um grande salto na indústria do videogame. Posteriormente, a proposta de console híbrido se mostrou um verdadeiro sucesso, vendendo mais de 60 milhões de cópias e colocando a empresa de Kyoto novamente entre as gigantes dos games.

Trilhando um caminho próprio, à parte do que Sony e Microsoft fazem, seus games, sejam os exclusivos da Nintendo, os feitos em parceria com outros estúdios, ou mesmo os games de thidie-parties, tem personalidade própria.

Mas já parou para reparar como que o Switch, apesar de receber diversos lançamentos, se tornou também em uma excelente plataforma retrô? Mesmo não sendo retro compatível nativamente com seus “irmãos mais velhos”? É o que vamos ver neste artigo. Vamos olhar a gigante biblioteca do console para ver o que tem de clássico para jogar neste que, atualmente, é uma das melhores opções para se jogar games antigos.

Mas o Switch teria concorrentes?

Neste caso, a concorrência do Switch não seria nem Playstation e nem Xbox. Se falarmos de games antigos, a concorrência que a Nintendo enfrenta está na China. Existem, já há alguns anos, vários consoles portáteis ou não, que emulam games antigos. E tem de tudo: desde sistemas que utilizam o Android com emulação, como o GPD XD, passando pelos produtos que contam com sistema próprio, como o RG350 ou o BittBoy, ou ainda projetos que aceitam cartuchos antigos, como os da Analogue.

Alguns deles, inclusive, são semelhantes ao Switch. Que vão desde o design, layout de controle, até o fato de, seja com um Dock, ou com qualquer outra solução, a possibilidade de se jogar tanto em sistema portátil, quanto na TV. Assim, eles também podem rodar games antigos das mais variadas gerações.

É fato que o Switch, uma vez desbloqueado, aceita emuladores também. Mas avaliaremos o sistema aqui, de sua forma original, com games oficiais, desenvolvidos para o sistema. E ainda assim, você poderá conferir como que é possível ver o ótimo potencial retrô do console atual da Nintendo.

A onda de remasters chegou ao Switch

Desde os dias de Super Nintendo, os remasters já existiam. Menos do que hoje, é verdade, mas existiam. Mas foi durante a geração de Playstation 4 e Xbox One que a “porteira” de remasters se abriu. É possível, na biblioteca do console, encontrar, por exemplo, três games Assassin’s Creed: o terceiro, o quarto e o Rogue, lançado primeiramente para PS3 e Xbox 360.

A trilogia Bioshock também se faz presente, assim como L.A. Noire, o game de investigação policial da Rockstar. Final Fantasy X e X-2, Burnout Paradise, Need for Speed Hot Pursuit, Crysis, Dark Souls, Grim Fandango, No More Heroes, Okami, Spyro e Crash Bandicoot são alguns dos games que engrossam a biblioteca do console.

Isso sem falar da própria Nintendo, que eventualmente traz remasters ou remakes de seus clássicos. Legend of Zelda: Link’s Awakening é uma nova versão do clássico do Game Boy. Super Mario 3D All-Stars traz Super Mario 64, Super Mario Sunshine e Super Mario Galaxy. E ainda há games de Wii U que ganharam nova versão no atual console.

E podemos esperar, ainda, por games que tem potencial para chegar ao console. Por exemplo, as versões melhoradas de games do Nintendo 64 como Star Fox 64, Legend of Zelda: Majora’s Mask e Ocarina of Time.

A SEGA também colabora

No Switch, a SEGA leva muito a sério o seu acervo, com o SEGA Ages. Trouxe ao console, inclusive, games que raramente aparecem em suas coletâneas, como Phantasy Star e Virtua Racing.

E todos eles contam com melhorias. Phantasy Star, por exemplo, traz um mapa para ajudar na exploração de seus labirintos. Virtua Racing está remasterizado, e Alex Kidd in Miracle World conta com a possibilidade de áudio FM, exclusivo do Master System japonês e que traz uma melhora impressionante de som.

Além disso, a SEGA também tem o seu Genesis Classics, com diversos games de Mega Drive. O que aumenta, e muito, a biblioteca de games antigos do sistema. Assim, é possível jogar, ainda, Streets of Rage 1, 2 e 3, Comix Zone, os games Sonic originais, Beyond Oasis, Altered Beast, e muito mais.

A SNK faz a sua parte

Lar de clássicos eternos dos games, a SNK também vê no Switch ótimas oportunidades de lançamentos. Começando pelos games ACA, que representam arcades clássicos como Super Sidekicks ou Metal Slug, até coletâneas, como a de Samurai Shodown, ou relançamentos como o The Last Blade.

No Switch, até um pequeno esquecido ganhou o ar da graça. O Neo Geo Pocket conta com alguns games relançados, como King of Fighters R-2, SNK Gals’ Fighters, ou Samurai Shodown Pocket Fighting. As possibilidades para o futuro também são positivas, pois a SNK sinaliza a possibilidade de lançar ainda mais games, seja seus clássicos de Neo Geo, ou os de Neo Geo Pocket.

Quer Mega Man? No Switch também tem!

É possível, no Switch, jogar praticamente todos os games clássicos de Mega Man. Em coletâneas, que também chegaram a outros sistemas, há a série clássica, a série X e a série Zero/ZX. Ou seja, é robozinho azul pra ninguém botar defeito!

E a Nintendo, demorou, mas também chegou

E qual seria a razão pela qual a Nintendo demorou tanto para adicionar sua própria biblioteca retrô em seus consoles? Independente da razão, sabemos que tanto NES e Super NES contam com alguns games disponíveis no console. E com direito a controles dos respectivos consoles, vendidos em edição limitada, para quem quer aproveitar de maneira mais profunda seus clássicos.

Assim, através do Nintendo Switch Online, serviço online do console, dá pra jogar clássicos como Super Mario Kart, Super Metroid, The Legend of Zelda: A Link to the Past, e muito mais.

Mas e você? Acha que o Switch é um bom console para jogar games antigos? Qual o seu clássico preferido, disponível para o console? Vamos conversar sobre isso, aqui nos comentários!