Shantae estreou no Gameboy Color em 2002, mas até hoje não alcançou o reconhecimento merecido. Será que dessa vez vai ser diferente? O game segue o já consagrado gênero “Metroidvania”. A nova aventura está recheada de dungeons, novas habilidades e transformações, sem deixar de lado o humor característico da série e sua jogabilidade simples, fluida e divertida.

As batalhas contra os chefes são muito divertidas

CADÊ MINHAS AMIGAS?

O que pareciam ser férias merecidas em uma ilha paradisíaca junto aos amigos, logo se tornam mistérios que só poderão ser solucionados com a ajuda da nossa simpática heroína. Assim que desembarca em Paradise Island, a convite do Prefeito para apreciarem o Festival Half-Genie, Shantae e sua turma já começam a fazer planos para desfrutar de cada momento naquele lugar. Tudo corre bem até que o Prefeito da ilha pede ajuda à recém-chegada para fazer parte da apresentação de logo mais à noite. Apesar de surpresa e um pouco nervosa, Shantae aceita e logo se junta às outras Half-Genies para a apresentação. O mistério começa quando, no meio da apresentação, uma fumaça suspeita invade o palco e ao se dissipar revela que todas as participantes do show haviam sumido, menos Shantae.

Agora sua missão é descobrir o paradeiro de suas novas amigas enquanto desbrava dungeons com muitos inimigos, puzzles, itens e habilidades para colecionar. Durante sua jornada, sua velha conhecia e arqui-inimiga Risky Boots fará aparições constantes. Apesar de ter que enfrentá-la algumas vezes parece que dessa vez a vilã não está muito interessada em acabar com os planos de Shantae, mas sim, em alcançar um misterioso tesouro.

 

Parece que Risky tem seus próprios objetivos na Ilha

MECÂNICA REFINADA

Os poderes e as habilidades como os golpes com seus cabelos e danças mágicas dos jogos anteriores, marcam presença e se juntam a novas transformações. Por exemplo, um simpático dragãozinho verde que pode grudar nas paredes possibilitando escalar lugares antes inalcançáveis. Além disso, poderá fundir poderes com poderes de outros personagens, lhe garantindo outros novos.

Outra novidade muito bem-vinda são os cards que os inimigos deixam ao morrer. Eles podem ser equipados e abrem um leque maior de possibilidades para serem utilizadas quando o personagem se depara com desafios espalhados pelos mapas. Também são extremamente úteis ao enfrentar os criativos e desafiadores chefes de cada área, os quais são um show a parte. Todos eles trazem uma mecânica única de combate e você terá que usar as diferentes habilidades adquiridas para derrotá-los.

A maior novidade, sem dúvida, fica por conta das novas animações de transição entre capítulos, muito bem produzidas pelo Studio TRIGGER, conhecido por animes como Kill la Kill. Os gráficos seguem a tradição de qualidade muito boa no melhor estilo desenho animado e as vozes encaixam perfeitamente nos personagens, que são bem carismáticos. A trilha sonora cumpre bem o seu papel. Como citado, o humor característico da série está presente mais uma vez, desde expressões corporais, para colocar um sorriso no rosto do jogador.

 

As expressões corporais ajudam a transmitir o humor leve da série

É HORA DE VOCÊ JOGAR

Lançado para PlayStation 4, Xbox One, Switch e PC, o quinto jogo da série inova pouco, mas consegue se destacar por conta dos detalhes comentados e alcançar status de ser o melhor até agora.

Com Shantae and the Seven Sirens a empresa americana independente WayForward mostra que não precisa mexer muito na fórmula para nos entregar um game bonito, divertido e que consegue agradar tantos fãs.

PUBLICIDADE