Muito antes dos games de luta crossover, que vão dos games Marvel vs. Capcom, passando por SNK vs. Capcom, e chegando até a série Smash Bros., houve, ainda nos dias de NES, uma inciativa bem curiosa, para não dizer insana, de um jogo de luta com os personagens mais variados possíveis.

Em 1994, a Cony Soft (não é erro de digitação, é Cony mesmo), trouxe um jogo de luta para NES bem diferente do usual. Para chegar a este resultado, no entanto, a desenvolvedora chinesa ignorou todos os direitos autorais possíveis, começando pelo nome do game: World Heroes 2.

Antes de Smash Bros., existiu o crossover de World Heroes 2. Detalhe no “Player Secelt”.
PROPAGANDA

O game original de mesmo nome é da ADK, publicado pela SNK, e lançado um ano antes, em 1993. Mas nesta versão chinesa, não é só o nome que é “emprestado” de outros títulos. A trilha sonora, gráficos e personagens, também são de outros títulos.

Inclusive, a tal Cony Soft é conhecida da turma dos clones e jogos “piratinhas”, pois é a mesma que publicou o famoso Street Fighter II de NES, mas com outro nome: Yoko Soft. Pode-se considerar, assim, que World Heroes 2 é uma “evolução espiritual” dentro do estúdio chinês.

world heroes 2
As lutas começam direto no “Round 2”. E os glitches que você vê são “parte” do game.

Foi usado o know-how do estúdio que, além de Street Fighter, também adaptou Fatal Fury para o NES. Usando alguns elementos de ambos os jogos, e “emprestando” outros elementos, uma lista de lutadores bem única foi apresentada. Ryu e Chun Li, de Street Fighter lutam contra Haggar de Final Fight ou a dupla Andy e Mai Shiranui de Fatal Fury.

Mas também enfrentam personagens que, até Smash Bros., seria considerado algo impossível, como Sonic, Mario, Goku, ou o Leonardo, das Tartarugas Ninja. Veja a lista completa de lutadores, com seus nomes oficiais, e à esquerda, como estão apresentados no game:

Ryu Ryu Street Fighter
Mario Mario Mario
Chun-Li Chun-Li Street Fighter
Sonic Sonic the Hedgehog Sonic
Leo. Leonardo Teenage Mutant Ninja Turtles
Haggar Mike Haggar Final Fight
Kupa Bowser/King Koopa Mario
Yeain Laurence Blood Fatal Fury
Andy Andy Bogard Fatal Fury
ごくぅ Son Goku Dragon Ball
Mai Mai Mai Shiranui Fatal Fury
Vega M. Bison/Vega Street Fighter

 

A trilha sonora, também é “emprestada” dos games que “cederam” os personagens para este crossover. Dos “empréstimos”, também podemos citar os gráficos do cenário de Mario, todos de Super Mario Bros. 3, ou o cenário de Leonardo, o mesmo de Armaggon em Teenage Mutant Ninja Turtles: Tournament Fighters.

Veja o clássico em funcionamento, com os glitches e tudo:

Outro destaque do game são os erros de programação, e os erros de digitação. Por exemplo, ao invés de Player Select, na tela de seleção temos “Player Secelt”, enquanto as lutas começam no Round 2, e não no Round 1. Outra coisa interessante é que o Sonic, que já havia sido “transformado” em Mario no lendário SOMARI, aqui tem seus movimentos baseados nos usados em Blanka, com direito até a dar choques elétricos.

Temos, assim, mais um lendário game que marcou gerações, especialmente no Brasil que, devido ao sucesso dos clones, não havia uma padronização de games em nosso território, permitindo que games oficiais, originais, clonados e piratas fizessem parte de uma coisa só, trazendo, assim, diversão e lembranças que remetem a uma era única dos games, que só quem viveu ela pode entender.