Já imaginou acordar e não se lembrar de nada que aconteceu até este momento? Pois é exatamente isso o que acontece com a nossa heroína Zoe nesta nova aventura pelo vasto mundo de Alwa. E é a partir do momento no qual essas memórias começam a retornar, que a pequena feiticeira entende o que realmente aconteceu em seu mundo enquanto dormia.

APRENDENDO E EVOLUINDO AOS POUCOS

Mesmo sendo uma sequência direta do game anterior Alwa’s Awekening, Alwa’s Legacy não exige conhecimento prévio do jogador para ser apreciado. O jogo faz questão de apresentar seus itens e suas habilidades aos poucos, para suavizar a curva de aprendizagem e tornar o gameplay ainda mais satisfatório.

Como um bom metroidvania, cada item ou habilidade tem sua função específica para lidar com inimigos nos diversos cenários, puzzles criativos e divertidos, e, por fim, mas não menos importante, nas batalhas contra os chefes. Essas batalhas contra os chefes são um destaque à parte, e vão exigir que o jogador coloque em prática tudo que aprendeu até aquele encontro.

O bosses são desafiadores e vão exigir que o jogador use suas habilidades adquiridas durante os cenários

Uma novidade muito bem-vinda é a presença de um item chamado tear, que pode garantir que você salve seu progresso, e que use o fast travel sempre que necessário. E após usar todas as suas habilidades para atravessar os cenários, encontrar e derrotar o chefe, Zoe recebe um fragmento de sua memória e vai conseguindo pouco a pouco descobrir os mistérios que Alwa reserva para ela.

GRÁFICOS E TRILHA SONORA AO MELHOR ESTILOS 16-BIT

As produtoras independentes estão cada vez optando por usar Pixel Art na produção artística de seus jogos. A Elden Pixels não fez diferente, porém, há um charme a mais em Alwa’s Legacy, que mesmo usando o famoso estilo já conhecido, conseguiu dar um ar de jogo de Super Nintendo ou Mega Drive.

Os gráficos de Alwa’s Legacy são uma homenagem à era 16-bit

É comum que tenhamos a tão amada arte quadriculada nos novos jogos indies, estilo 8-bit, mas aqui percebemos um certo cuidado e atenção para deixá-la com o aspecto menos serrilhado e mais arredondado, lembrando 16-bit. Também podemos perceber semelhanças, com relação aos games antigos, na trilha e efeitos sonoros.

A música de Legacy acompanha a evolução dos gráficos. Enquanto no primeiro game nós podíamos ouvir uma trilha mais digitalizada, no jogo atual podemos sentir a diferença suave que remete aos sons criados pelos chips sonoros dos consoles da quarta geração.

UMA ÓTIMA OPÇÃO PARA QUEM CURTE RETRÔ GAMES

Como uma jogabilidade fluída, gráficos e músicas agradáveis e uma dificuldade que não subestima a habilidade do jogador, Alwa’s Legacy consegue se destacar como um excelente metroidvania em meio a tantos outros lançamentos. O game está disponível para Steam, com versões prometidas para Switch, PS4 e Xbox One.