Com gráficos no melhor estilo Game Boy, Dogurai, as aventuras do cachorro samurai, conseguiu grande destaque entre os jogos INDIES nacionais pela diversão e seu gameplay nostálgico.

Para celebrar esse sucesso, a desenvolvedora Hungry Bear Games firmou uma parceria com a QUByte (a mesma do game 99 Vidas: O jogo e Vassara Collection) para distribuir sua criação também para PS4 e Nintendo Switch. Essa parceria foi intermediada pela Game Nacional, primeira publisher startup do Brasil.

UM POUCO DE HISTÓRIA

Você está ambientado em um futuro totalmente caótico. Os robôs tomaram conta do território e são eles, os responsáveis por manter a ordem e a segurança de todos. Como já sabemos, essas máquinas são passíveis de controle e, consequentemente, podem se voltar contra aqueles que elas deveriam proteger. A ação em Dogurai se inicia quando um temível vilão sem nome (o jogo não faz questão de apresentar o enredo para o jogador) resolve dominar o mundo e colocar suas criações para destruir quem ousar se opor ao seu poder.

Gameplay de Dogurai. Imagem para divulgação

Com tudo parecendo ruir, o cão ninja, ou melhor, o ex-agente das Forças Especiais, outrora aposentado, agente Bones, resolve sair de sua aposentadoria para salvar seus entes queridos.

JOGABILIDADE

A jogabilidade em Dogurai é bem familiar para quem viveu e se esbaldou no gênero de ação em plataformas dos anos 1980 e 1990, com claras inspirações em Ninja Gaiden, Mega Man, Super Metroid e Castlevania.

O cão samurai consegue ainda realizar saltos duplos, o que ajuda nos momentos de muita precisão no pulo. Sua espada dilacera os inimigos facilmente, conseguindo inclusive, fatiar os próprios projeteis lançados contra você. Além de um valioso Dash, que lhe proporciona esquivas importantes em batalhas decisivas.

Gameplay de Dogurai. Imagem para divulgação

O jogo tem um total de oito fases distribuídas ao redor do mapa. Não existe uma ordem clara para se aventurar e nem mecanismos de vantagem. Você enfrentará ambientes no gelo, vulcões, fábricas de robôs, uma cidade destruída e até uma aventura pelo deserto pilotando uma moto.

Os combates contra os inimigos não irão propor um bom desafio ao jogador. No inicio, é possível escolher entre os níveis: NORMAL (vidas infinitas) e HARD (seis vidas).

Uma boa inclusão na jogabilidade é algo semelhante ao “limit break” que consegue devastar os inimigos mais fortes. Esse movimento se torna eficaz quando o jogador consegue pressionar, rapidamente, os botões que aparecem na tela.

FINAL VERDADEIRO

As primeiras cinco fases escondem quatro artefatos (semelhantes a disquetes) que irão liberar, na última fase, Rider, um valioso aliado para Bones que fora pego pelo vilão sem nome. Caso contrário, o seu amigo se tornará um inimigo e você vai precisar vence-lo em uma batalha de vida ou morte.

O final verdadeiro da aventura só irá aparecer se este requisito for bem cumprido. Vale a pena o esforço de encontrar esses itens.

Gameplay de Dogurai. Imagem para divulgação

NOSTALGIA NA TELA

Para completar a nostalgia, a Hungry Bear Games apostou em um visual totalmente retrô usando uma paleta de cores inspirada no clássico Game Boy. É bem verdade que o portátil monocromático da Nintendo tem, exclusivamente, a cor verde. Mas, em Dogurai é possível escolher a cor de destaque, são elas: preta, verde, vermelha, azul, roxa e laranja.

É possível ainda reduzir a tela do jogo para uma experiência portátil como também aumentá-la de modo a abranger toda a tela da sua TV. Independente da sua escolha, o visual de Dogurai vai lhe agradar.

Gameplay de Dogurai. Imagem para divulgação

Os gráficos se apresentam de forma simples. Mas, talvez essa tenha sido a intenção. É bem verdade que às vezes nos perdemos na movimentação do cão herói que possui limitados movimentos de animação. Um outro ponto a se melhorar são as animações dos inimigos. Infelizmente, a simplicidade deles impede na identificação de suas aparências e isso vale também para os chefes.

A trilha sonora é um ponto positivo. A equipe de desenvolvimento se inspirou em músicas que embalam o jogador e o encorajam a persistir diante dos desafios que se avizinham.

POR FIM

O jogo foi uma clara homenagem aos clássicos dos anos 80 e 90.

Gameplay de Dogurai. Imagem para divulgação

O preço de venda dele é um ponto positivo. É um valor justo pelo que o game vai trazer a você, amigo leitor, uma diversão rápida que, com esmero e dedicação, pode e será terminada em um dia. Uma boa oportunidade de passar o tempo na quarentena.

Dogurai, que já estava na Steam, chegou as lojas virtuais do Nintendo Switch e PlayStaton 4 no dia 24 de março ao preço de R$19,90.

PUBLICIDADE