Mortal Kombat para Mega Drive fez muito sucesso em sua época de lançamento, devido ao fato de contar com sangue, elemento que faltava no Super Nintendo. Era apenas entrar com o código A, B, A, C, A, B, B na tela de texto que aparecia após as imagens das produtoras e o game tinha o mesmo nível de violência dos arcades.

O problema é que tirando este elemento, a versão para o 16-bits da SEGA é motivo de reclamação dos fãs até hoje. Portado para o console pela Probe, o game mostra sinais de preguiça em seu desenvolvimento, que com o passar do tempo foram sendo mais notados pelos entusiastas.

PROPAGANDA

Cenários cortados, músicas trocadas, e até um Sub-Zero com a mesma pose de guarda do Scorpion são algumas das reclamações, em um port que, aparentemente, parecia ter estes problemas apenas por limitação do Mega Drive. O que um grupo de desenvolvedores provou que o console da SEGA não tinha nada a ver com estes problemas.

Desenvolvido por Master Linkuei, Billy Time! Games, Chev Chelios e Danilo Dias, uma ROM chamada de Mortal Kombat Arcade Edition traz uma versão para o Mega Drive muito acima da qualidade do port original. Muitas correções em cenários, cores, sons e personagens foram feitas, com um resultado que impressiona.

O game mostra o que poderia ter sido o port original de Mega Drive, lá em 1993, quando o cartucho foi lançado. Mostra caprichos que fazem a diferença, como o reposicionamento do cenário, a presença mais marcante de Shang Tsung nos cenários os quais ele aparece, ou o fundo da ponte, com cabeças e sangue, tal como no arcade.

Além da falha de correção, é possível perceber muito cuidado em detalhes, que deixaram, enfim, o port de Mortal Kombat para Mega Drive com a qualidade que game e console merecem.

Você pode ver um vídeo com o gameplay, e acessar maiores informações sobre a ROM no vídeo abaixo:



Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments