Quem jogou videogame na primeira metade dos anos 90 pôde ver de perto a transição dos 16 para os 32-Bits, uma geração, que já era ótima, foi substituída por algo excelente.

Está certo que, logo de início, o que a gente viu foi a chegada do Sega CD e 32X, mas isso ainda não bastava. Em pouco tempo o 3DO foi anunciado e pudemos ter uma ideia do que viria pela frente, jogos como Sailor Moon e Yu Yu Hakusho abriam as portas para algo diferente do que estávamos acostumados.

Yu Yu Hakusho no 3DO já mostrava melhorias

Porém, quando começamos a receber as primeiras informações do Sega Saturn e do PlayStation que vimos de fato o que uma nova geração estava preparando para nós. As revistas de videogame foram palco para essa chegada tão aguardada pelos fãs e foi nelas que acompanhamos notícias, fotos e imagens dos primeiros jogos, tudo era impressionante.

GRÁFICOS IMPRESSIONANTES

Os gráficos 3D dos consoles de 32-Bit eram impressionantes, algo muito além do que já tínhamos visto com Star Fox, por exemplo. Daquele momento em diante sonhávamos com a possibilidade de jogar, em casa, novidades como o Virtua Fighter e Daytona USA.

Virtua Fighter

Entre diversas melhorias e novidades, essa geração chegava para popularizar os jogos em CD, que traziam por sua vez belíssimas trilhas sonoras. Foi neste momento também que começamos a trocar as baterias de savers dos CDs pelos memory cards, no caso do PS1. Os consoles domésticos estavam fazendo um belo trabalho agora, só restava esperar por mais jogos.

MAIS E MELHORES JOGOS

Logo começamos a ter conversões de games que, anteriormente, jogávamos apenas nos arcades. The King of Fighters 94, os novos Street Fighter e as séries Versus da Capcom, eram, finalmente, realidade. Além dos gráficos em 3D, a nova geração levou o 2D para outro nível, sprites bem maiores, com maior resolução, e efeitos nunca antes vistos.

The King of Fighters

Além de novas franquias pudemos ver a evolução de séries clássicas com o Rockman X4 e Castlevania: Symphony of the Night, por exemplo. Tivemos também uma invasão de novos RPGs. Vimos surgir versão melhora de Lunar, Dragon Quest e, é claro, Final Fantasy que debutava a era 32-bits com o sétimo episódio, fantástico e inesquecível.

Tivemos surgimento de novos jogos que se tornariam clássicos absolutos, Resident Evil, Metal Gear Solid e Parasite Eve são três exemplos entre dezenas de ótimos lançamentos.

Final Fantasy 7

Nesta época, as revistas de videogame “aproveitaram o barco” e encheram as bancas de edições repletas de dicas, truques e detonados. Nunca antes se viu tanto detonado saindo ao mesmo tempo quanto na época do PS1. Para jogos em japonês, ou até em inglês, eram uma ajuda e tanto.

DICA DE VÍDEO

Para quem quiser relembrar de alguns pontos relacionados com essa transição entre os 16 e 32-bits eu deixo aqui um vídeo que gravei sobre o assunto. Veja: