Nos dias de hoje é bem complicado ser lojista e lidar com as críticas e os haters de internet, principalmente pra mim que tenho uma loja com itens “Raros”.

Toda vez que postamos algum item raro para venda, recebemos uma enxurrada de críticas de pessoas reclamando do preço, dizendo que não vale, dizendo que é absurdo, que estamos abusando e etc. Então, vamos lá, vamos explicar algumas coisas:

DEFINIÇÃO DE VALOR: POR QUE É TÃO CARO?

O item fica caro como qualquer item normal, vale a oferta e procura, ou seja, quanto mais gente procura o item e menos dele tem à disposição, vai ficando mais caro. Por outro lado, quando sobra item na prateleira e não se tem procura, o valor cai. Vou dar exemplos:

Procure um jogo que vendeu milhões de cópias, Donkey Kong Country do Super Nintendo, por exemplo. Achar ele original é fácil, mas aí tem as seguintes variações: original Loose (apenas o cartucho, sem caixa e sem manual), reprô (reprodução), pirata, CIB (completo na caixa) e assim por diante.

Achar o jogo original loose é até fácil. Como eu falei, achar piratinha é mais fácil ainda, o mesmo se dá com uma reprodução, ou seja, é um jogo que nos dias de hoje é encontrado com valores entre R$ 150 e R$ 250, variando pelo estado da fita, origem (japonês e americano), estado da label (foto frontal do cartucho) e etc.

A Casa do Videogame – Foto (Divulgação)

E então você encontra anúncios assim, “Donkey Kong Country Original Patch”, que é uma reprodução, e daí você vai achar de R$ 150 pra baixo, e por achar nesse valor vai brigar com o cara que está vendendo a R$ 250.

Só que esse mesmo cara que tem um original por R$ 250, tem também outro anúncio de um CIB (completo na caixa) por R$ 600, e daí você vai querer matar esse cara, xingar a mãe, espernear, e por aí vai. A culpa é só do lojista, certo?

NÃOOOO! Antes de falar de valor (não se fala nunca), você precisa verificar a versão que está anunciada, a CIB pode ser uma edição especial, pode estar lacrada, pode ter alguma coisa a mais na caixa (chaveiro, adesivo etc), pode ser de país diferente, ou ainda ser de tiragem limitada. Um DKC completo em ótimo estado da Playtronic, acredite, chega nos R$ 600 hoje em dia.

A mesma versão americana, em ótimo estado também, pode custar R$ 450 e você não vai entender o porquê disso. É simples, a versão Playtronic é mais difícil de achar, ou seja, mais rara. Então, antes de sair gritando com o lojista, repare bem o que ele está vendendo e só questione ele de forma individual, nunca de forma pública, porque a falta de atenção faz com que vários erros e injustiças sejam cometidos.

É CARO OU É RARO?

O valor do item está na sua raridade. Com isso, ele passa a ser caro, isto é, um jogo que teve pouca tiragem acaba sendo mais raro de encontrar. Claro que edições especiais pioram ainda mais a situação, porém nem sempre o valor está num jogo de temporada (Futebol, NBA, Fórmula 1, jogos que têm o ano na capa, tipo “FIFA 20”) ou jogos de esporte em geral, a maioria das vezes acaba não sendo difícil de achar e assim o preço nunca se eleva.

Um exemplo claro de jogo raro é o Hagane, de Super Nintendo. Foi um jogo lançado apenas para as lojas Blockbusters, e assim que elas fecharam as portas o jogo sumiu. Hoje um exemplar dele passa de R$ 2.000. O game é bom? Vale a pena? Isso tudo é relativo de pessoa pra pessoa.

POSSO DETONAR POR CONTA DO PREÇO?

Entenda, você pode fazer tudo que quer? Não, não pode! Sabe por quê? Porque ninguém é obrigado a passar a mão na sua cabeça e te agradar o tempo todo. Então vou exemplificar mais uma vez.
Eu posto nas redes sociais um jogo, anuncio ele por R$ 500, aí VOCÊ acha ele caro, vai na foto e começa a detonar o preço, a loja, o mercado e etc. Reclama de tudo e fala que aquilo é um lixo.

Pois bemmmmm amigo, entenda, EU posto na MINHA PÁGINA, você vem na minha página, entra, olha o preço, reclama pra todos que estão ali lendo, xinga, briga pelo valor, me chama de “FDP” e ainda diz que em site X tem mais barato.

Agora vamos traduzir pra REALIDADE o que muitos não enxergam. Eu tenho uma loja na rua, coloco o item na porta com um valor, você ENTRA na loja e lá dentro começa a xingar, dizer que é caro, a quebrar o pau, e todos os outros clientes estão ali vendo você dizer que do outro lado da rua, na outra loja, é mais barato. Imaginou a situação? Na vida real, você seria expulso da loja, sabe por quê? Porque se você faz isso, você é um SEM NOÇÃO, pra não dizer um palavrão!

Quando você faz um comentário sobre o valor de algo num grupo, página, foto e etc, é bem isso que você está fazendo e NÃO, você NÃO TEM ESSE DIREITO. Seu direito de se expressar acaba exatamente no momento que isso passa a prejudicar alguém.

A Casa do Videogame – Foto (Divulgação)

Quando for fazer algo do tipo, pense bem. Você pode prejudicar uma loja, uma pessoa, uma página, simplesmente pela SUA OPINIÃO. Você é responsável pelo que fala e saiba que a pessoa da loja pode tirar um print da tela e te processar por isso. Então, o mais correto é ter bom senso, ter cuidado, ter respeito e ser feliz, concordando ou não com a postagem.

“Mas estou indignado com o valor pedido pelo lojista, preciso alertar as outras pessoas sobre esse absurdo”, você diz. É assim, quem tem o item o coloca à venda por quanto quiser. Quem tem dinheiro compra, se quiser. A SUA OPINIÃO cabe só a você. Se você interferir numa venda, o vendedor não irá gostar e assim você não está apenas se expressando, mas prejudicando o outro. Pense sempre nisso e guarde sua opinião sobre preço pra você. Afinal, ela pode beneficiar e pode prejudicar, sempre tente enxergar os dois lados.

LOJISTA É LADRÃO, VENDE TUDO CARO!

Enfim, a definição do valor de um item não está apenas no “ACHISMO”, mas sim na análise de diversos fatores. A raridade, a procura pelo item, o estado de conservação, a qualidade e assim vai. Você tem que considerar o valor que foi pago por ele durante a compra também.

Pense, você vai na loja vender um jogo de PS2 por R$ 400, que é o que ele vale, afinal, você olhou no Mercado Livre antes. O lojista te oferece entre R$ 120 e 150 e você acha um absurdo, afinal, está levando o item até ele e quer pelo menos R$ 380.

Agora vamos lá, o lojista tem que oferecer garantia pelo SEU item, ele compra de você e corre risco do produto não funcionar na mão do outra pessoa e, assim, ele perde tudo. O lojista te paga à vista e em dinheiro, você não corre risco, você não precisa ir nos Correios, embalar e etc, e principalmente, não corre risco de golpe na internet.

O lojista vai precisar ofertar o item, dar visibilidade, limpar, cuidar, expor e deixar na prateleira até outro interessado gostar do item e levar pra casa. Isso pode ser em minutos ou pode demorar ANOS! Além disso tudo, o lojista precisa com o seu item pagar o seguinte: funcionários, aluguel, energia, água, internet, telefone, gastos com a loja e, claroooooo, ele precisa TER LUCRO! Não calculando isso numa compra, ele terá PREJUÍZO e, desta forma, fechará a loja.

A Casa do Videogame – Foto (Divulgação)

“Dane-se o lojista, me paga logo os R$ 380,00 que eu quero”… Aí com esse pensamento todas as lojas vão quebrar e você terá que se virar pra vender sozinho, tendo todo o ônus de cuidados com envio, embalagem, recebimento e etc.

Se coloque no lugar do lojista, vem uma pessoa e te vende esse jogo de R$ 400 por R$ 120 e uma outra pessoa quer comprar ele de você, porém, você já olhou no Mercado Livre e viu que o mais barato é R$ 400. Você vai vender por quanto? Por R$ 150? 180? 400? ou pelos 120 que você pagou? Seja honesto consigo mesmo e pense na resposta.

Então, o que vale pro lojista, também vale pra você. Entendendo o ponto de vista de tudo, é certeza de sucesso em suas negociações.

Espero ter elucidado melhor o funcionamento de uma loja na sua compra e venda e no principal, que é o fato de “ACHISMO” e sobre comentários que você pode ou não fazer. Dentro de 15 dias eu volto com mais uma coluna. Abraços do Tiozão.